8.18.2013

E.A.D.M.

Quando será que vou passar dessa fase de passar de fase? Já sou o que sou ou ainda existem partes de mim perdidas em algum lugar do espaço-tempo? Sou aquilo que quero ser ou quero ser algo que não sou? Essa personalidade é algo que sempre esteve comigo e jamais se alterou ou é uma variante que pode mudar a qualquer instante? O ideal é ter uma opinião formada sobre tudo ou viver em plena metamorfose é mais cabível? Se isso é um sonho, parece real, mas se isso é real, tem um caráter surreal. Não sei quantos discos mais terei que ouvir, quantos livros mais terei que ler, para me tornar, veja só, um indivíduo globalizado, cosmopolita e de características bem definidas. De quantas crises existenciais um cidadão moderno precisa pra finalmente se situar no mundo? Afinal, é tudo uma questão de aceitação, enquanto alguns vivem para serem aceitos em um determinado grupo, existem os libertinos que tentam aceitar a si mesmos, no ímpeto do seu espírito devastador. O que digo é que se cometo um crime hoje, amanhã acusem outro, o eu de amanhã jamais o cometeria, eu poderia estar orando pelo dia de amanhã agora mesmo e acordar amanhã sem o menor saco pra Deus. Algumas pessoas não conseguem aceitar a mudança, eu fico feliz por tê-la comigo quase sempre, falo da minha é claro, ora pois, aceitar a mudança alheia é muito mais difícil, ter que redecorar informações do banco de dados em nossa cabeças, com novas informações sobre uma ou outra pessoa, é chato, pra falar a verdade. Não é nada fácil manter a mente livre de preconceitos ou estigmas. Nada incomum, nós sempre apontamos o erro dos outros na primeira oportunidade, parece bobagem, até banal às vezes, uma bobagem necessária, autoafirmação às vezes exige isso, mas não creio que seja fraqueza, bom senso parece mais adequado. Mas se é pra ser sincero, tem que começar por si mesmo, narcisismo é diferente de falar a verdade, se alguém decifra tão bem os defeitos alheios, este deve se sentir o mais defeituoso dos seres, por conhecer tão profundamente do assunto. Mas será que ter defeitos é algo ruim? Realmente não acho, é o que dizem, defeitos são o ponto de partida pra melhora, ou em um caso específico de loucura pode ser apenas uma qualidade desmistificada. Pois é, minha cara consciência, fique feliz por ainda ser respeitada mesmo diante de tantas mudanças dentro desse mundo cada vez mais esquizofrênico e dentro da minha, digo, nossa mente em seu estado humano, por natureza e excelência, doente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário