8.20.2013

Mundos muito mais que distantes.

Esta miséria secular não me faz perder o sono
Ao mundo pertenço, sou nele um gnomo
Perdido no labirinto de desalento e desleixo
Sou também desleixado, pra falar sou suspeito
Procuro saída, mas haverá saída? Saída pra onde?
E se houver, quem ousaria saltar pra fora do mundo?

Que queres do mundo homem?
Que lhe faça cafunés?
Que lhe beije os pés?
Que lhe sirva acarajés?
Nada disto terá, terá se muito o mar
Um emprego razoável, uma vida razoável

O mundo cabe em ti homem, cabe a ti
Cabe a tua mulher, cabe a teus filhos
Teu mundo é tua mulher, teu mundo são teus filhos
Os filhos são o mundo que você colocou no mundo
O mundo são flores murchas
E as flores não deixam de existir só por estarem murchas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário